Dia e hora errados

6414CEA87E.jpg

Samantha,

Eu disse que não escreveria mais nada sobre você. Mas aqui estou, começando novamente, uma carta sobre você. Sabe…. Ontem eu fiquei pensando como seria se nos encontrássemos outra vez. Nosso último encontro, aquele no bar, não foi dos melhores. Dia errado e a hora também.

Sinceramente, eu não queria que você tivesse me visto com a Alice. Ela é legal, confesso, mas não é com quem eu quero estar agora. Você disse que eu estava sorrindo, aquele sorriso de quando eu gosto de alguém, mas sabe qual era o assunto naquele instante? Você. É, estávamos falando sobre você. E por mais estranho que pareça Samantha, você ainda é o que me faz feliz. Só que, mais uma vez é o dia errado e a hora também.

Nós terminamos, é verdade. Foi sem aviso pra todo mundo, e acredito, que foi sem aviso pra nós dois também. As falhas estavam ali, escondidas, voltando à tona sempre que um assunto sem graça surgia entre a gente. O ambiente ficava ruim, ficávamos num silêncio sem fim, e quando decidimos terminar, foi uma decisão nossa. Nem minha, nem sua, nossa.

Mas naquele dia, quando te vi indo embora, eu percebi que tudo tinha acabado entre nós dois. Eu fui embora do bar também, a noite tinha acabado pra mim. E a partir daí, comecei a escrever sobre você. Foram cartas e cartas, que eu nunca enviarei. E em uma delas, eu disse que não escreveria mais sobre você ou sobre nós. Só que eu precisava te dizer alguma coisa, e acho que consegui.

Nosso amor não acabou. Mas o nosso tempo sim. Fomos felizes juntos, eu cresci bastante durante o tempo em que namoramos, e te agradeço por me apoiar sempre que precisei e por me contrariar quando eu estive errado. E eu sei que você cresceu também, aquela menina tímida que conheci, agora é uma mulher que sabe impor sua opinião, que aliás, sempre esteve ali, mas a timidez te impedia de falar.

Hoje, 27/11, completaríamos 2 anos juntos. E por isso, decidi te mandar essa carta, agora é o dia e a hora certa para dizer adeus.

Adeus,
Caio.

____________________________________________________________________________

por Agnes Martins Follow my blog with Bloglovin

Anúncios

Eu precisava te ver

C9DBABA6EC

Caio,

Não sei por que fiz aquilo. Mas deu vontade de te ver novamente. Pensei em te ligar, mas meu telefone estava sem bateria. Pensei em ir até a sua casa, mas a sua mãe faria perguntas que eu ainda não estava disposta a responder. Pensei em ir até o seu trabalho, mas eu não sabia qual era o seu horário nessa semana. Então decidi ir no seu bar favorito, eu não tinha ideia se iria ver você lá, mas decidi arriscar. Eu realmente não sei por que fiz aquilo, mas eu precisava te ver.

Sabe, eu nunca gostei daquele lugar, mas era o seu bar favorito e sempre encontrávamos seus amigos lá. Então, num piscar de olhos seus amigos viraram meus amigos e os meus viraram seus, e no fim da história, todo mundo ia pra lá na quinta-feira. Hoje não poderia ser diferente ou seria?Quando nós terminamos o ar ficou pesado, todo mundo se sentiu fora do lugar e os meus amigos param de frequentar um lugar que sempre foi seu. Acho que no fundo, ninguém entendeu direito o que tinha acontecido. Quando nós terminamos foi de repente, sem aviso prévio de brigas e discussões. Mas eu precisava te ver e tinha que ser hoje.

Quando eu cheguei, minhas pernas estavam bambas e o frio na barriga parecia chegar até a minha coluna. Eu queria te ver, só que ao mesmo tempo não sabia o que dizer se eu te encontrasse. Fiz discursos na minha cabeça, fiquei muda, pensei em falar tudo que eu não tinha dito aquele dia, será que eu iria rir ou chorar. Só que quando eu te encontrei, foi como um soco na barriga. Você não estava sozinho.

No primeiro momento eu não reconheci a menina ao seu lado, mas eu reconheci aquele sorriso que você só fazia quando realmente gostava de alguém. E foi isso que me machucou. Meus olhos ficaram cheios d’água, minha garganta fechou e eu não sabia onde me esconder. E quando reconheci a garota ao seu lado, foi pior, era aquela sua vizinha. A mesma que você jurou nunca ter conversado.

Quando você me viu, seu sorriso se desfez, não por vergonha ou surpresa, mas por decepção. E naquele instante eu pude perceber o quanto saímos magoados da nossa relação. Não houveram brigas, mas havia silêncio, mentiras e traições. Foram nossos segredos que fizeram com que nosso namoro terminasse sem aviso. Foram as mentiras que contamos ao longo dos meses, as traições que foram escondidas e o silêncio que permanecia toda vez que um de nós magoava o outro.

Me assustei quando senti uma pequena lágrima caindo pela minha bochecha. Relembrar tudo o que tinha acontecido ainda doía demais em mim e eu percebi que ainda doía em você também. Naquele instante, eu simplesmente sorri pra você e me virei para ir embora. Parte de mim, queria que você gritasse meu nome e me chamasse de volta. Porém, tinha a outra parte, a que me dizia que era melhor assim, que o nosso amor tinha acabado ali.

E então eu entendi que era por isso que eu precisava ter ver hoje. Para finalmente compreender que nossa história tinha chegado ao fim da linha.

Adeus,
Samantha.

____________________________________________________________________________

por Agnes Martins Follow my blog with Bloglovin